Institucional

Benedito: Negro, analfabeto e santo

05.10.2018
Artigos

Benedito: Negro, analfabeto e santo

Muito popular no Brasil, São Benedito ganhou a simpatia dos escravos, tanto pela simplicidade de vida quanto pela afinidade da cor de sua pele. Numerosas irmandades surgiram em seu nome, dividindo esta honra com Nossa Senhora do Rosário.
Embora em todo o mundo sua festa seja celebrada em 4 de abril, data de seu falecimento, no Brasil ela é celebrada, desde 1983, em 5 de outubro, graças a uma especial deferência canônica concedida à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB.
Podemos achar que a sua comemoração fica ofuscada pelo brilho do dia anterior – quando se comemora a festa de São Francisco de Assis. No entanto, seus inúmeros devotos não esquecem o simples frade franciscano que morreu na cozinha do Convento de Santa Maria de Jesus, em Palermo, no ano de 1589, exercendo a função de cozinheiro após ter sido seu superior.
Em tempos de campanha contra a discriminação étnica, São Benedito é um grande exemplo de que a cor da pele não é fator determinante para conduta ou aptidão; em outras palavras: negro e analfabeto não são sinônimos para “desonesto”, “incompetente” e “coitado”. Todo ser humano –, independentemente de sua nacionalidade, aparência física ou classe social –, é dotado de virtudes e habilidades. Contudo, para que os talentos de alguém possam aflorar, é necessário que lhe sejam dadas oportunidades.
Frei Benedito era apenas um irmão leigo e analfabeto, designado para ser cozinheiro no convento em que vivia. Mas sua sabedoria e o discernimento que demonstrava fizeram com que fosse nomeado“mestre de noviços” e, mais tarde, “superior” daquele convento. Teólogos e nobres vinham de longe para conversar e aprender com ele.
Que também nós, possamos aprender com seu exemplo.

Oração a São Benedito


Glorioso São Benedito, grande confessor da fé, com toda a confiança venho implorar a vossa valiosa proteção. Vós, a quem Deus enriqueceu com dons celestes, consegui-me as graças que ardentemente desejo, para maior glória de Deus. Confortai o meu coração nos desalentos.
Fortificai minha vontade para cumprir bem os meus deveres. Sede o meu companheiro nas horas de solidão e desconforto. Assisti-me e guiai-me na vida e na hora da minha morte, para que eu possa bendizer a Deus nesse mundo e gozá-lo na eternidade. Com Jesus Cristo, a quem tanto amastes. Assim seja, amém.

Para saber mais:
http://franciscanos.org.br/?p=59588
https://pt.wikipedia.org/wiki/Benedito,_o_Mouro

Texto: Neuci L. Silva

Compartilhe:   

Contato

Endereço

Rua Coronel Veiga, 550 - Petrópolis – RJ | CEP: 25.655-151

Telefone: (24) 2243-9959


Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades: